sábado, 9 de junho de 2018

Os dois lados do caminho



Os dois lados do caminho

O que se soube
O que se desce
Num, a vida floresce
No outro a vida fortalece

Quando os dois lados se transpõem

O caminho que se subiu
Em botões de ouro a vida se coloriu
O caminho que se desceu
Foi a aventura que a vida nos anunciou

Os dois lados do caminho
Percurso da vida
O que se sobe
Quando se é criança ainda
O que se desce
Quando a vida nos envelhece


Cidália Rodrigues

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Onde tudo é pureza



Olho os campos regados,
Semeados,
Onde desponta a alegria
Ali que me renovo
Ali que me revejo
Nos frutos do pessegueiro
Nas hortas florescidas
Nas flores das macieiras
Simplicidade que não se esgota
Natureza que embeleza
Onde tudo é pureza
Frutos da bela natureza
Com alegria
Vem à mesa
Mesmo que à noite
Haja tristeza
Porque o sol já não brilha
Foi embora
Virá outro dia
Haverá novamente
Galhardia
Ao ver os campos em alegria

Cidália Rodrigues


domingo, 3 de junho de 2018

Quadras de - Agostinho da Silva

Quadras de
Agostinho da Silva, filosofo Português do Séc, XX




Arte

Toda a escultura que surge
a uma pedra diz não
adora em qualquer imagem
a força da criação


Alegria

Felizmente vou passando
a vida com alegria
não me dá sede o currículo
nem o nome filosofia

Mestre

E não me chamou de mestre
sou apenas aprendiz
daquilo que me é o mundo
e do que sendo me diz.

Ninguém  me chame de mestre
nem por discípulos quero 
que chegue cada um por si
ao nada ser que venero

In "Citações e pensamentos de AGOSTINHO DA SILVA"

sábado, 2 de junho de 2018

Será sempre um bom dia



Quanto o céu em noite escura
Sem estrelas e sem lua
É a noite em penumbra

Erguer os olhos à esperança
Para ver nascer o novo dia
Em perfeita harmonia

Seja ele terno e fraterno
Seja sempre um novo dia
Aleluia, aleluia

Mesmo que as estrelas não brilhem
Nem haja a luz da lua
Seja sempre um novo dia
Em perfeita harmonia

Aleluia ao novo dia
Seja ele terno e fraterno
Será sempre um bom dia


Cidália Rodrigues

domingo, 27 de maio de 2018

Agostinho da Silva - "Mestre é o homem..."



“Mestre é o homem que não manda; aconselha e canaliza, apazigua e abranda, não é a palavra que incendeia, é a palavra que faz renascer o canto alegre do pastor depois da tempestade, não interessa vencer, nem ficar em boa posição; tornar alguém melhor – eis todo o seu programa; para si mesmo, a dádiva contínua, a humildade e o amor ao próximo”

In Livro de 1988 - Editora -Assírio e Alvin – Considerações e outros textos – (pág 43) – de Agostinho da Silva

sábado, 26 de maio de 2018

Quem de amor



Do amor
Queixume e lume

Quem de amor
Amou um dia
Enquanto o coração ardia
Amou, amou

O ciúme em dor sofreu
Todo o amor se olvidou

Do amor
Queixume e lume

Quem de amor
Amou um dia
Enquanto o coração ardia
Amou, amou

Quem de amor
Amou um dia
Sentiu a febre de um só dia



Cidália Rodrigues